Educação e Formação

A ZEESM TL busca aumentar as oportunidades de educação e formação para cada um dos seus cidadãos conforme o respetivo nível e, ao investir neles, assegurar as oportunidades educacionais das gerações futuras.

A melhoria das oportunidades educacionais é um desafio complexo e requer a combinação correta de esforços de cada área do governo. Uma economia mais forte cria oportunidades para formação profissional, uma melhor rede de estradas permite que as crianças sejam transportadas para as escolas secundárias através de autocarro em vez de caminharem quilómetros em estradas difíceis, um melhor sistema agrícola permite que as crianças da escola primária tenham mais tempo para fazerem os trabalhos da escola, a falta de água e de casas de banho operacionais impede que as jovens participem na altura da sua menstruação. Virá uma geração jovem mais alargada e, de modo a colher os benefícios desta demografia em curso, conforme descrita neste sítio da Internet, tal geração futura deverá ser educada.

Os desafios são imensos. Ainda que a escola seja gratuita, existem muitas despesas a realizar com sapatos ou livros, por exemplo, a literacia encontra-se estimada entre 30% e 43% pelo que, ainda que os pais sejam maioritariamente a favor da educação, isto significa que não podem apoiar os seus filhos na realização dos trabalhos de casa. Os edifícios escolares necessitam de imensas melhorias. É difícil garantir professores qualificados e as bolsas para alunos mais capazes são raras. Providenciar uma boa alimentação para garantir que os alunos podem estudar é também um desafio enorme.

Map of Schools in Oé-Cusse, Timor-Leste. Credit: Rui Da Silva Pinto

Melhorias

As más condições escolares têm sido melhoradas através da construção e reparação de infraestruturas. Até agora, 24 escolas já foram reabilitadas. A formação de professores encontra-se em curso e existe um programa de literacia para adultos.

A alimentação é providenciada às escolas por centros locais hortícolas e pelo próprio sistema de distribuição das escolas. Leia mais sobre isto na secção sobre agricultura.

A educação não termina na escola e para melhorar a economia de Oé-Cusse é necessário um grupo de profissionais especialistas. A ZEESM procura garantir que aqueles que já trabalham em Oé-Cusse formem aqueles que aqui vivem e procura bolsas de estudo para pessoas qualificadas.  Dois médicos vão fazer formação para cardiologia, estagiários da central elétrica vão tornar-se engenheiros, e um arquiteto de Oé-Cusse está a ajudar na concepção do novo aeroporto internacional.

O sistema educativo

O sistema educativo é composto por fases, os estudantes vão à escola pré-primária, depois primária e pré-secundária nas suas próprias aldeias. As escolas secundárias localizam-se nos centros urbanos. Existem escolas públicas e privadas, religiosas, em Oé-Cusse. Existe uma pré-escola privada religiosa, cinco escolas primárias privadas, 1 escola pré-secundária privada e 1 escola secundária privada, as restantes descritas infra são escolas públicas supervisionadas pela RAEOA.

No sistema público, existem 13 pré-escolas, 58 escolas primárias, 9 escolas pré-secundárias e 3 escolas secundárias, 1 escola técnico-profissional para tecnologia e gestão e 1 escola técnico-profissional para agricultura. O Baiqueno e o Tétum são utilizados na pré-escola, enquanto que o Português é incluído na escola primária. Na escola secundária, emprega-se o Tétum, o Inglês e o Português.

Em 2016, existia um total de 23.744 alunos em todas as escolas (públicas e privadas) em Oé-Cusse, desde a pré-escola até ao ensino secundário: 774 alunos na pré-escola, 15.109 na escola primária, 5.932 na escola pré-secundária e 1.929 na escola secundária.

Em Maio de 2017, existia um total de 25.661 alunos em todas as escolas (públicas e privadas) em Oé-Cusse, desde a pré-escola até ao ensino secundário. Existiam 417 raparigas e 425 rapazes na pré-escola, 11.224 raparigas e 11.158 rapazes na escola primária e pré-secundária e 1.192 raparigas e 1.245 rapazes na escola secundária.